Minha análise do Windows Phone, depois de 10 meses de uso.

Imagem

 

   No último mês de Janeiro, decidi trocar de celular e pela primeira vez, usar um smartphone de verdade. Dentre as opções de sistemas operacionais, estavam Android e Windows Phone (iOS nem conto porque minha conta bancária não condiz com alguém que tenha iPhone.) Pois bem, já frustrado com a experiência de uso de um tablet Android, decidi comprar um Windows Phone, sistema operacional caçula dos já ‘idosos’ Android, do Google e iOS, da Apple.

   Coincidindo com o lançamento nacional da linha Nokia Lumia 2012, comprei o modelo 620. Na época, era o aparelho mais barato com o sistema da Microsoft (R$899). A primeira impressão foi boa. O sistema me agradou bastante, com toda sua fluidez. Com o tempo, fui pegando as ‘manhas’ do sistema e tudo vinha me deixando feliz. O problema começou quando fui visitar a loja de aplicativos. Com um ecossistema fraquíssimo se comparado aos dos outros sistemas, fui me frustrando aos poucos. Aplicativos ‘de nome’ como WhatsApp estavam presentes na plataforma, mas eram tão, mas tão ruins que nem usava. É nisso que o sistema peca. Quando há apps, eles são tão ruins que chegam a ser inutilizáveis. Pra se ter uma noção: NUNCA recebi uma notificação de mensagem no WhatsApp. Notificações e Windows Phone realmente não foram feitos um para o outro, já que o sistema nem central de notificações tem (Isso até um Asha da Nokia de R$200 tem!). A recente chegada dos apps Vine e Instagram mostrou mais uma vez que o Windows Phone é muito fraco. O Vine trava muito e de novo, inutiliza o app. Nem preciso falar do Instagram, né!? O app chegou capenga, não gravando vídeos, sem alguns efeitos nas fotos e sem opção de compartilhar a foto por redes sociais após a publicação. Mais uma vez, um serviço de porco.

Outras coisas chatas do Windows Phone:

*A tecla capacitiva de voltar incomoda, pois você esbarra nela toda hora;

*Os Wallpapers do Bing não mudam sozinhos conforme descrito;

*Problema na memória: a pasta ‘Outros’ fica cheia do nada. A minha chegou a ter quase 3GB. Nem Microsoft nem Nokia conseguiram resolver esse problema por completo, depois de quase um ano.

*O teclado é MÍNUSCULO. Se não fosse o ótimo corretor automático (Olha! Elogiei o Windows Phone :P), seria impossível digitar algo.

*O sistema de email é muito, MUITO ruim. Ele não sincroniza automaticamente seus emails e quando sincroniza, leva mais de 40 minutos.

*Nem um mísero app de YouTube ele tem!

*Aplicativos de terceiros muito mal feitos e com pouco aproveitamento de espaço na tela.

*A assistente virtual pode ser tudo, menos parecida com a Siri ou o Google Now. Tem voz robótica e entende poucos comandos.

*O sistema de tiles, na teoria, é ótimo, mas tem pouca utilidade.   

*Você nunca sabe como focar numa imagem para tirar uma foto.

*Não tem um multitarefa de verdade.

Pra não parecer tão chato (sou mesmo..haha), descrevo abaixo algumas poucas coisas que me agradaram:

*O Aplicativo de notas OneNote é o melhor. Tanto que tenho ele no meu iPad. O Evernote é confuso e difícil de usar.

*O corretor automático é sensacional.

*O pacote Office é um bom quebra-galho.’Upar’ documentos feitos no Word do PC e lê-los na tela do celular sem nenhum problema é algo que já se esperava da Microsoft.

 

Dito isso tudo,você se pergunta se eu recomendo a compra de um Windows Phone? Depende muito. Se você não costuma usar muitos apps e não se importa em não ter os últimos títulos de jogos, ele talvez seja para você. Agora, se você quer ter sempre os games e aplicativos do momento, vá de iOS ou Android.

Depois de dez meses, trocarei de plataforma. Vou para o lado robótico da força. O Moto G, celular de baixo custo e com um processador potente e Android puro, me conquistou. Até quando? Não sei, mas acho que será uma experiência mais agradável com um sistema com quase sete anos de mercado. Se algum dia voltarei a usar o Windows Phone? Como diz aquele ditado, ‘Nunca diga nunca’, mas como já tenho uma ideia de como o sistema é, dificilmente algo fará mudar minha opinião a respeito do WP.

 Aos adoradores de Windows Phone, me perdoem. O sistema de vocês pode até ser bom, mas não pra mim! 😉